O suicídio da Arte. [ESPECIAL]

 

  O texto abaixo faz parte de uma série especial sobre a questão da Arte na nossa sociedade atual.O assunto é bem denso, então eu tive que simplificar.Se você quiser saber mais, pesquise, use algum buscador ou um livro mesmo.

   Nesse espectro pós-moderno de nossa arrogante época, onde recebemos e enviamos dezenas de informações e a tecnologia nos escraviza, pergunta-se, cadê a arte?Um estudo superficial da nossa História mostra que a arte dos últimos 600 anos foi vigorosa e, de certa forma, presente na vida das pessoas.Talvez o leitor pense : “Mas ela não era elitista”.Não nego que boa parte da “arte” de museu, a erudita, era sim elitista.Mas, apesar disso, até os simples trabalhadores urbanos escutaram orquestras de Mozart e não vamos esquecer das manifestações artísticas populares.Para entender onde está a arte e porque ela morreu, vamos analisar um pouco as nossas escolas artísticas:

Pré-História

 A arte (entenda-se, a plástica) estava extremamente limitada ao cotidiano do homem primitivo.Das pinturas rupestres, ele expunha suas caçadas e suas percepções rústicas do mundo.Ainda não existia a escrita, portanto, nada de Literatura.Os registros sobre dança são muito poucos, portanto, não podemos afirmar nada a respeito.

 

Antiguidade

Da época antiga, tiramos a arquitetura dos povos babilônios,sumérios e assírios com os jardins suspensos e uma relativa melhora na representação de desenhos, pinturas.A escrita surge e já existem registros de bibliotecas, no entanto, boa parte se perde no tempo.

No Egito, são inúmeras as inovações nesse campo: surgem as narrações através dos hielogrifos, arquitetura majestosa, a dança e a própria estética revolucionam esse período.

Já entre os gregos e romanos, observamos um marco na Literatura ocidental, com grandes filósofos(Aristóteles,Sócrates,Platão), poetas(Homero,Virgílio), dramaturgos(surge o teatro com as tragédias e comédias de Sófocles e etc).As artes plásticas concentram-se sobretudo nas esculturas e a apresentação realista do corpo, destacando-se toda a sua anatomia consagram a arte greco-latina.A arquitetura é literalmente matemática com arte, onde os prédios seguem uma linha geométrica até hoje admirada e copiada.

A cultura bárbara( de povos nos limites do Império romano) também deu contribuições com uma arte rústica e detalhada, ela influenciou bastante os movimentos durante a Idade Média.

Idade Média

Uma época muito controversa, pois muitos ou a odeiam ou vangloriam.Achando um meio termo, a Idade Média ofereceu novidades para a arte como o surgimento dos trovadores, de novos instrumentos como o alaúde, a arquitetura gótica e românica das catedrais.Infelizmente, no campo da pintura foi uma arte estática.

Renascimento

Um período de esplendor, onde surgiam os grandes “gênios” da pintura e escultura como Da Vinci,Botticelli,Michelangelo. Escritores como Shakespeare, Camões,Erasmo de Rotterdã.Uma verdadeira ebulição cultural que propunha uma retomada aos valores da antiguidade greco-romana.O Teatro muda de configuração com o teatro shakespeareno ou Elisabetano, dando um novo ar ao paradigma das tragédias.

Barroco/Iluminismo/Arcadismo

Embora essas duas correntes pertençam a séculos distintos (XVII e XVIII, respectivamente), eu as organizei juntas porque não existem grandes marcos nesse período.O barroco é o reflexo da Reforma protestante no homem, conflitos religiosos, exageros, anjinhos.Já o Arcadismo, influenciado pelo movimento Iluminista é mais uma volta aos valores clássicos, racionais.As novidades estão na música com Vivaldi e suas fluentes Quatro Estações e Mozart com Óperas,sinfonias.Provavelmente foi o campo que mais possuiu inovações, onde se ensaiaram os primeiros modelos da orquestra moderna.

Século XIX: Romantismo/Realismo/Simbolismo/Parnasianismo

  Influência direta da Revolução francesa e daquele nacionalismo idealizado, o Romantismo  foi um período extremamente rico, onde as produções em todos os campos renovaram-se.Na música, destaque à maestria de Beethoven,Tchaikovsky,Borodin,Bach,Wagner e etc.A pintura ganhou expressão com Delacroix e a Literatura com Goethe, Byron, Álvares de Azevedo,Gonçalves Dias e etc.As orquestras crescem e a música clássica torna-se mais complexa, consolidando-se seu caráter burguês.

 

[Continua no próximo post]

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: