Quem comeu a minha língua?

Cadê o verde e amarelo?

O preconceito é uma forma de pensamento que se mostra muito mais forte quando velado.Geralmente, quando se pensa nele, a imagem do Klu Klux Klan ou de nazistas é a primeira que aparece.Mas,na verdade, o preconceito serpenteia por vários ramos de pensamento, alcançando diversos setores culturais e étnicos, como a língua.

A relação de hierarquia pode surgir tanto entre idiomas diferentes, quanto dentro da própria língua.No Português, por exemplo, as variações são exaltadas ou ridicularizadas, dependendo do poder político e econômico que a região apresenta.O sotaque nordestino é mostrado como símbolo da pobreza, ignorância, enquanto que o carioca representa o “Brasil bonito”, das praias,das novelas.Por que isso acontece?Será que o do nordeste é errado e o do centro-sul é o certo?Para a Linguística, não existe certo nem errado, quando o objetivo maior, a comunicação, é efetuado.

No mundo, também se observa o poder de um idioma sobre o outro:o inglês acabou virando obrigatório em qualquer currículo, dissemina-se pelo cotidiano e vende sua imagem de “língua universal”.A inter-relação entre idiomas não deveria expandir um em detrimento do outro, já que a troca de palavras e  sotaques só enriqueceria o vocabulário. A realidade é que foram fincadas bandeiras nas nossas línguas, que não conseguem mais dizer cachorro-quente, mas hot dog.

Chico Bento, personagem criado por Mauricio de Sousa, reflete o preconceito linguístico entre o modo de falar da cidade e do campo.

Chico Bento, personagem criado por Maurício de Sousa, reflete o preconceito linguístico entre o modo de falar da cidade e do campo.

Não apenas o Português vivencia essa colonização arbitrária.Toda vez que o trono do mundo muda, a língua do rei vira língua de todos.Para impedir que a comunicação entre os países ficasse relacionada ao poder e hegemonia cultural, Ludwik Łazarz Zamenhof inventou o Esperanto, idioma planejado para vencer as barreiras culturais e étnicas entre os países, funcionando como uma verdadeira “língua universal”.A ideia ganhou força e hoje o Esperanto é a língua planejada mais falada do mundo.

Apesar disso, o inglês continua expandindo seus poderes.Para a maioria dos brasileiros, não é tão ruim conviver com as loja’s, mas para os orientais é um suplício aprender a língua de Shakespeare, Mark Twain e Capitão América.O mandarim, com os mais de três mil ideogramas diferere no tronco linguístico, alfabeto e sintaxe do inglês,portanto, os chineses e outros povos orientais apresentam uma dificuldade imensa para aprender os verbos irregulares e adquirir fluência, diferente do que ocorre com a maioria dos brasileiros.

A nação mais poderosa do mundo falar inglês NÃO tem nada a ver com a sua influência na nossa língua [/ironia][ironia]A nação mais poderosa do mundo falar inglês NÃO tem nada a ver com a sua influência na nossa língua [/ironia]

Até quando veremos filmes americanos sobre Segunda Guerra Mundial mostrando alemães e russos falando inglês e se entendendo?Por que os filmes alemães ou russos do mesmo tema colocam até 4 idiomas diferentes na mesma projeção?Houve uma época em que tudo era escrito em Latim, que o chique era o Francês e que se falava com Deus em Espanhol.Mas, assim como seus impérios, essas línguas perderam o seu trono.Quando o mundo esquecer da monarquia e, de fato, abraçar a democracia, serão ouvidas  todas as vozes culturais, mesmo com instrumentos diferentes, tocando a sinfonia da diversidade.

Saiba mais sobre o Esperanto em:

Artigo do Nebulosa nerd’s bar

Muito humor e informações sobre o idioma.

Esperanto na Wiki

A boa e velha Wikipédia com outros detalhes da vida do criador da língua planejada mais popular do mundo.

[Créditos: tirei umas pitadas dos sites acima.O texto foi feito para minha aula de Introdução ao Jornalismo: Ética.]

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , ,

6 pensamentos sobre “Quem comeu a minha língua?

  1. Kago, muito bom o assunto abordado.
    No entanto, discordo em relação à tirinha do Maurício de Sousa. Acredito que a intenção dele, quando escreve de forma incorreta na fala do Chico Bento, é apenas a de ressaltar o sotaque bem característico do interior paulista, não o de preconceito. Aliás, nos quadrinhos, a turma do Chico Bento é a única que frequenta a escola. Os personagens da “cidade”, Mônica, Cascão, Cebolinha e Magali não vão ao colégio.

  2. Camilla Palha. disse:

    Parabéns!
    Mais uma vez , excelente texto guria!

  3. jassar protázio disse:

    olha! mais uma esperantista, ou não?
    por via das duvidas está a contecendo um curso em belem de esperato ele é gratuito se te interesa da um alô no meu orkut que te dou o indereço! =]
    ĝis revido!

  4. rogeriojordao disse:

    Bem legais essas reflexões…hoje descobri um Atlas da Unesco que aponta que 41% das línguas atualmente existentes no planeta estão prestes a desaparecer, vc já viu isso?
    Coloquei em: http://rogeriojordao.wordpress.com/
    Parabéns pelo blog, bem instigante!
    abs,
    Rogério

  5. disse:

    se 41% das linguas desaparecerem qual lingua a gente vai falar? inglês?

  6. Anônimo disse:

    uma coisa dessas nao deveria estar acontecendo num pais tao diversificado como o nosso ou nos esteites porque vc fala diferente vc e discriminado assim saber ingles ja ta parecendo lei porque quase todo trabalho bom que se ve tem que saber falarv ingles é ou não é?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: